Português English

ESTRESSE OCUPACIONAL: estudo com gestores de um hospital filantrópico localizado na região Centro-Oeste do estado de Minas Gerais

|ESTRESSE OCUPACIONAL: estudo com gestores de um hospital filantrópico localizado na região Centro-Oeste do estado de Minas Gerais

ESTRESSE OCUPACIONAL: estudo com gestores de um hospital filantrópico localizado na região Centro-Oeste do estado de Minas Gerais

 

Autor:  LUCIANA AMARAL AZEVEDO SANTOS

 

Tipo de Trabalho de Conclusão: DISSERTAÇÃO

 

Data da Defesa: 16/08/2017

 

Resumo: O contexto de atuação dos gestores da área da Saúde configura-se como fonte de tensão para estes indivíduos, podendo ocasionar manifestações de estresse, em decorrência do trabalho, e comprometer a saúde física, mental e emocional. Nesse sentido, torna-se importante realizar estudos em ambientes cuja finalidade de prestação de serviços se relacione à saúde da população. Este estudo teve por objetivo descrever e analisar as manifestações associadas ao estresse no trabalho, na percepção dos gestores de um hospital filantrópico que atende ao SUS e à rede privada na região Centro-Oeste de Minas Gerais. Em termos metodológicos, realizou-se uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa. Como método de pesquisa, utilizou-se o estudo de caso. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 8 gestores dos níveis estratégico e intermediário do hospital. As categorias de análise definidas tiveram como referência o Modelo teórico de explicação do estresse ocupacional em gerentes (MTEG), desenvolvido e validado por Zille (2005), adaptado para este estudo: fontes de tensão no trabalho, sintomas de estresse, impactos no trabalho e estratégias de enfrentamento ao estresse. Os dados foram analisados com base na técnica de análise de conteúdo. Os resultados revelaram que o contexto de trabalho dos gestores possui importantes fontes de tensão, capazes de provocar estresse ocupacional nos gestores. As principais fontes de tensão identificadas no ambiente de trabalho foram: situação financeira da instituição, aspectos relacionados às mudanças organizacionais, pressão e cobrança, em seus diversos contextos, sobrecarga de trabalho e administração de situações imprevisíveis e/ou complexas. Identificou-se, também, que essas fontes de tensão promovem alterações físicas e psíquicas nos indivíduos, como: insônia, fadiga, dores no estômago, ansiedade, nervosismo e irritabilidade. Também foram observadas algumas manifestações orgânicas que podem estar relacionadas ao quadro de estresse ocupacional, como: gastrite, psoríase, pressão alta e síndrome do pânico. Os indicadores de impacto no trabalho mais frequentes foram: desgaste nos relacionamentos interpessoais no trabalho e/ou fora dele, dificuldades relacionadas a concentração e/ou a memória e interface casa/trabalho. As estratégias de enfrentamento (coping) ao estresse utilizadas com frequência pelos gestores foram: equilíbrio entre trabalho e vida privada, busca do autocontrole, centralidade do trabalho e prática de atividades físicas.

Palavras-chave: Estresse ocupacional. Gestores da área da Saúde. Hospital filantrópico.

 

Abstract: The context of action of health managers is a source of tension for these individuals, which can cause manifestations of stress arising from work and compromise physical, mental and emotional health. In this sense, it becomes important to develop studies in environments whose purpose of providing services relates to the health of the population. The purpose of this research was to describe and analyze the manifestations related to stress at work, according to the perception of the managers of a philanthropic hospital that works to the SUS system and also the private network in the central-west region of Minas Gerais state. The methodology was a descriptive research using a qualitative analysis about a case study developed. In total, 8 strategic and mid-level managers of that hospital has been interviewed using a semistructured interview. The defined categories of analysis had as reference the theoretical model of occupational stress in managers (MTEG) proposed by Zille (2005), adapted for this study, which were: sources of stress at work, stress symptoms, impacts at work and stress coping strategies. The data collected has been analyzed using the content analysis technique. Such results revealed that the work context and environment of those managers has important sources of tension that can induce the occupational stress in the managers. The main causes of tension identified in the work environment were: financial situation, organizational changes, pressure and demands in its various aspects, work overload and administration of unexpected and/or complex situations. It was also noticed that these sources of tension promote physical and psychic changes in individuals, such as: insomnia, fatigue, stomach pains, anxiety, nervousness and irritability. There were also some organic manifestations that may be related to occupational stress, such as: gastritis, psoriasis, high blood pressure and panic disorder. The most frequent indicators of impacts on the work observed were: attrition in interpersonal relationships at work and/or outside, difficulties related to concentration and/or memory and home/work interface. The strategies coping with stress frequently used by managers were: worklife balance, self-control, centrality of work and physical activities.

Keywords: Occupational stress. Health managers. Philanthropic hospital.

 

Área de Concentração: ORGANIZAÇÃO E ESTRATÉGIA

Linha de Pesquisa: RELAÇÕES DE PODER E DINAMICA NAS ORGANIZAÇÕES

Problema de Pesquisa: “Como podem ser explicadas as manifestações de estresse no trabalho envolvendo gestores que atuam na área da saúde?”

 

Banca Examinadora

Orientador: Prof. Dr. Luciano Zille Pereira

Prof. Dr. Antonio Luiz Marques – Docente

Profª Drª Carolina Maria Matos Santos– Participante Externo

 

BAIXAR ARQUIVO 

2021-05-26T16:44:47-03:0012.09.2017|Dissertação|